terça-feira, 13 de abril de 2010

Marguerita

Era mais um daqueles chatos encontros de casais: todas elas estavam apaixonadas e insuportáveis, vertendo mel pelos poros. Carla me levou porque não tinha quem mais levar. Estávamos há um tempo só de rolo, mas Carla, que era uma menina boa de coração, achava que estávamos namorando. Eu sabia que mais cedo ou mais tarde quebraria o coração de Carla.

Chegamos e a mesa já estava praticamente composta. Com exceção de Juliana, não conhecia mais ninguém. Mas belos olhos azuis me chamaram a atenção e poucos segundos depois meu olhar captou que aqueles olhos azuis não tinham companhia. Ou a companhia havia sido subtraída da mesa misteriosamente ou os belos olhos azuis estavam desacompanhados.

A conversa rolava de forma agradável embora tediosa em minha opinião. O que eu queria mesmo era sentar ao lado de Ana - sim, os olhos azuis ganharam uma identidade - e conversar. Eu a olhava sem parar e ela me retribuía o olhar de forma quase adolescente, sem saber onde se meter naquela mesa.

E Ana foi ao banheiro e convidou irresistivelmente alguém para acompanhá-la. Lá me fui enquanto Carla se divertia com as histórias que eu não agüentava mais ouvir.

Fui agressiva, confesso. Esperei Ana se dirigir a pia e enquanto lavava as mãos, perguntei se poderia beijá-la. Assim, ali mesmo, na maior cara de pau. Completei que não namorava Carla. Era só um quebra-galho ou sei lá o que eu disse no momento. Ana me olhou por um momento e sem dizer palavra tocou meus lábios. Em seguida me deu o beijo mais maravilhoso que eu poderia receber. Shiiii, disse, a Carlinha não pode saber. Nada respondi por que Ana se foi. E eu saí em seguida e fui contar a Carla que havia descoberto que Ana estudara na mesma escola que eu e tínhamos amizades em comum. Mentirinha, claro. Mas pude me sentar de frente à Ana para papear e por alguns minutos a terra parou.

Carla me chamou. Íamos embora. Mas consegui, triunfante, telefone e email de Ana. Não me entenda mal. Carla era uma excelente garota e tinha os mais belos seios que eu já havia visto. Mas o magnetismo do olhar de Ana me atraiu de tal forma que não pude resistir.


6 comentários:

marcia paula disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
marcia paula disse...

Agora eu me entusiasmei, resolvi comentar aqui.Gostei muito dessa Ana dos olhos azuis e também da atitute cara de pau da outra, afinal lésbica tem que ser determinada por mais tímida que seja.Um abraço.

Moana disse...

*.* ... lokko ...

Laila Braga disse...

Essa conquistas descaradas de mesa de bar... Tenho sentido falta disso...

Pablo disse...

Olá.
TUdo bem?
LHe enviei alguns emails mas não tive resposta.

Espero que esteja tudo bem aí.

Entrei em contato para dizer que terminei o livro e preciso de uma ajudinha para divulgar... :D

O que você acha?

abraços, té mais.

Ah, meu email é: pablo.torrens@hotmail.com

...Família Colorida... disse...

Curti demais seu blog e estou vindo divulgar meu novo blog sobre famílias homoafetivas, venha fazer uma visitinha: http://nossafamiliacolorida.blogspot.com

Beijos!