quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Lembranças.

Ela tinha dois filhos. Tinha também dois ex-namorados, um deles ex-marido, pai dos filhos. Nos conhecemos durante uma discussão ideológica que logo descambou para uma conversa pessoalógica. De Marx para o tango; de Durkhein para MPB; e a cartada final: de Hobsbawn para a gastronomia. Já sentia seu olhar sobre mim há certo tempo. Tampouco me preocupava com isso. Mas a discussão foi o ponto de partida. Em determinada altura, muito séria com seu copo de café na mão, ela perguntou: namora? Que pergunta capciosa, pensei. Não titubeei. Não mais me esconderia. Respondi então: Não mais. Terminei com uma menina faz alguns meses. Juro que nesse momento vi seus olhos brilharem. Sua reação não poderia ter me causado maior surpresa. Disse ela: janta comigo um dia destes? Claro, respondi.

No princípio era só a conversa. Pouco depois esperávamos as crianças dormirem. E, a partir dali, conhecia seu corpo de mãe antes dos trinta. As suas intenções eram dignas de respeito. Cansada de homens, em busca de diversidade e, porque não, novas experiências. Não era de todo quadrada: suas diversas tatuagens mascaravam seu corpo nu. O piercing que carregava na língua era, certamente, modernozo. E sabia, como sabia, aproveitar todas as possibilidades na cama.

Os dias eram longos. A noite começava tarde e terminava antes das crianças acordarem. Eu ia embora, embora ela, às vezes, ainda dormisse. Queria vê-la acordar de manhã, quem sabe tomar um café na cama. Mas isto não acontecia. Éramos reféns das sombras e delas não saiamos.

Não era bem amor, talvez um pouco de paixão, não sei. Em verdade, houve pouco tempo para se pensar sobre isto. Não que o affair tenha sido rápido. Não foi. Eu diria que nunca evoluiu. Mantenho a lembrança de seu bafo quente em minha nuca enquanto sentia seus seios em minhas costas. Lembro também de seu perfume e do gosto do seu beijo.

5 comentários:

Bru disse...

Sou completamente apaixonada pelo seu blog...amo a forma descontraída que escreve.
Continue postando sempre pois sou sua leitora assídua.
Bjinhos
Bru

psyco disse...

Este será um local que irei passar mais vezes...

beijos

Carol e Carolina disse...

Gostei muito do seu blog.
Obrigada pela visita e pelo carinho.
Seja sempre bem-vinda.
Beijos

Vai Gina disse...

Adoro lembranças doces e as salgada também. Tenho uma amiga que costuma dizer que "são os detalhes ruins que fazem as lembranças reais".

beijos da Gina

Mi disse...

um sabado nublado, que bom ler vc . beijo b. yours.